quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Jogos mortais

Senti-me fazendo parte dos “Jogos Mortais”, na situação mais assustadora: COMPRAS. E o pior, assim como no filme, eu estava sendo torturada por meus maiores medos!

Fui para a casa do meu namorado e acabei ficando para dormir. Como eu não havia levado a minha mala, fui ao shopping comprar roupas íntimas, um pijama e uma troca de roupa para o dia seguinte. Eu tinha consciência de que não seria fácil, mas a busca foi quase infindável!

Entramos e saímos de SEIS lojas, e – pasmem – nada serviu! Visitei tantos provadores e revirei tantas araras que estava quase desistindo e passando dois dias seguidos com a mesma roupa. Então, resolvi entrar a Hering – que sempre me salva nos momentos de tensão. E comprei duas batinhas de verão.

Mesmo voltando com as roupas que precisava, eu me senti péssima. Cancelei o jantar no shopping e passei o resto da noite emburrada. Confesso que a ideia de desistir da dieta passou centenas de vezes pela minha cabeça – em questão de segundos.

Os sentimentos se misturaram completamente. E acabei colocando meu namorado contra a parede. Eu estava me sentindo tão desinteressante que cheguei a perguntar a ele porque me escolheu. E disse com todas as palavras que ele deveria ter escolhido uma namorada menos complicada, isto é, MAGRA. Uma namorada que pudesse fazê-lo feliz sem traumas.

Coitado! Ele não tinha culpa da minha crise, afinal nunca me cobrou. Ele me ama pelo que eu sou. E na hora de dormir, eu coloquei todas as lágrimas contidas pra fora, e contei tudo que estava sentindo. Chorei tanto contando meus traumas, que até ele não se conteve. Ganhei palavras lindas, colo, mimo e muitos beijos. Realmente me senti desejada, e acima de tudo, amada. No entanto, a dor de não ser quem eu gostaria ainda está latente. 

6 comentários:

casal emagrecendo disse...

eu nem procuro roupa pq a coisa ta feia
mais vamos seguir em frente afinal se fizermos por onde isso será passageiro agora se comermos vai durar muito tempo
bjs

REINVENTANDO disse...

Sei o que é isso, não me reconheço no meu corpo..então vamos em busca dele novamente? Não desisti não..não é fácil, mas mude seu estilo de vida e vá atrás de novos hábitos alimentares e de atividade física. E que bom que tem uma pessoa do seu lado te dando força!! Já estou te seguindo. Abraços. Sandra

Rosemary disse...

Ah, o drama de não encontrar roupa...
A gente percebe que passou dos limites nesses momomentos, é dramático, eu sei.
Mas não é tarde pra recuperar o peso ideal, vc já começou, siga em frente. Os resultados virão, é só ter paciencia. E vc tem muita sorte de ter alguém que te alma ao lado.

Adriana disse...

Não desista de sua dieta por isso, temos que estar preparadas para dias ruins, e esse foi um. Já saí de provador chorando (não dessa vez porque tenho muita roupa plus size e não pretendo comprar tão cedo).
Ainda bem que as pessoas que nos amam nos amam pelo que somos, não pelo que aparentamos. São as poucas que vêem em nós além de celulite, estrias e gorduras.
Mas já passou, fique bem agora, porque ficar chateada pode ser um banho de água fria. Bjs!!

Ramona disse...


Esse seu poste me fez voltar ao meu passado e lembrar de inúmeras cenas bem parecidas que já passei dês da procura por roupas a colocar meu marido na parede até hoje eu não sei como ele agüentou e ainda está comigo, te entendo e sei a insegurança que dá em ter um amor e não se sentir bem para ele, mas pense ele está bem com vc e a gente que não está de bem com a gente mesma, por isso não desconte nele, só de o seu melhor para se sentir bem com vc mesma. Desculpa se falei de mais, mas é que passou um filme em minha cabeça. Bjs!

Rosemary disse...

Quero te dar dois selinho, pra pegar é só passar no meu blog.
Falar nisso, quando fui te indicar fiquei procurando seu nome,rs. Sempre passo por aqui, mas ainda não sei qual é.

minguandoopeso.blogspot.com.br